technik Options

Wanna play?

Customize the header!

Test Vertical Rhythm?

EMP Engenharia

Iniciadas obras da ETE em Nanuque

Segunda, 19 Agosto 2013 04:27 Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)


Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) iniciou as obras do sistema de esgotamento sanitário de Nanuque, que inclui a construção de uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) e a conquista de um novo patamar para a qualidade de vida da população local. Na primeira etapa, que deve estar concluída em dezembro de 2014, 50% de todo o esgoto coletado na cidade será tratado e devolvido à natureza sem riscos de contaminação.

Após ser coletado nas residências, o esgoto será recolhido nos domicílios e transportado por meio de encanamentos (redes coletoras), interceptores e emissários. Ao chegar à ETE, o esgoto passará por grades que impedirão a passagem de todos os materiais grosseiros, como, por exemplo, pedaços de pano, madeiras, latas e plásticos. Em seguida, irá para canais onde será retirada toda a areia nele contida, por meio de um processo de decantação por força da gravidade. Livre deste tipo de material, o esgoto será conduzido a instalações denominadas reatores anaeróbicos, onde bactérias vão decompor a matéria orgânica, gerando como subprodutos uma parte sólida (lodo secundário), biogás e gás carbônico.

A água resultante do tratamento do esgoto, com um índice de impurezas praticamente inofensivo ao ecossistema, será devolvida ao rio Mucuri e a parte sólida será secada e prensada, para depois ser destinada a um aterro sanitário, onde será naturalmente absorvida pelo meio ambiente, sem riscos de contaminação à natureza. Parte deste material também poderá ser utilizada como adubo orgânico na agricultura, após adequação, ou ser incinerada.

Segundo o técnico-químico de produção de água e esgoto do Distrito do Mucuri da Copasa, Francisco Ferreira, após sua conclusão a ETE de Nanuque vai tratar 92% do esgoto que seria lançado nas águas do Rio Mucuri, diminuindo consideravelmente o índice de contaminação do leito do rio, contribuindo para o equilíbrio ambiental e trazendo maior qualidade de vida à população. “Este tipo de obra é fundamental para a preservação do meio ambiente e nós estamos trabalhando no sentido de resgatar as águas do Mucuri, devolvendo a vida ao rio”, afirma.

Atualmente, as obras se encontram na fase de execução de terraplanagem e levantamento topográfico da área, nas proximidades da fazenda Cachoeira. Segundo o engenheiro civil Éber Vilas, supervisor das obras, o empreendimento deve gerar cerca de 50 empregos diretos na cidade, com vagas para encarregados, pedreiros, carpinteiros, armadores, calceteiros, serventes e cozinheiras. Também serão gerados empregos e serviços indiretos com locações de imóveis, veículos e equipamentos. Ao todo, estima-se a circulação de aproximadamente R$ 1,5 milhão com criação de empregos diretos e indiretos na cidade, aquecendo a economia local durante o período de execução das obras. “É muito importante percebermos que uma obra do porte da ETE traz benefícios a todos desde o início de sua execução, pois atrai emprego e renda para a cidade e a longo prazo vai possibilitar o desenvolvimento do município como um todo, pois uma cidade saneada atrai novos investimentos”, afirma Éber.

Programa “Água da Gente”

A Copasa completa 50 anos dedicados ao saneamento básico em 2013. E coloca em prática o maior programa de investimento em saneamento básico da história do Governo de Minas Gerais, o “Água da Gente”. Até 2016, serão investidos R$ 4,55 bilhões nas 625 cidades em que a empresa atua, beneficiando 15,2 milhões de mineiros com abastecimento de água e 10,1 milhões com esgotamento sanitário.

Faça a sua parte: cuidados para evitar problemas nas redes de esgoto

De nada adianta o investimento da Copasa em uma moderna Estação de Tratamento de Esgoto se a população não fizer a sua parte. Algumas atitudes simples podem contribuir para o bom funcionamento da rede. Veja abaixo:

• As águas dos esgotos e da chuva não se misturam: nunca faça escoamento da chuva nas redes de esgoto nem na fossa séptica. Isso provoca um aumento excessivo do volume da água, podendo arrebentar as tubulações e causar o retorno do esgoto para a sua casa. O ideal é que a água da chuva tenha uma rede só para ela, a rede pluvial construída pela Prefeitura.

• Coloque sempre o ralo nas pias e tanques: quando estiver arrumando a cozinha, jogue no lixo as cascas de frutas e legumes, restos de verduras, embalagens e sobras de comida. Não se esqueça de colocar o ralo no tanque também.

• Não jogue lixo no vaso sanitário: objetos como tocos de cigarro, papéis, plásticos, absorventes, chicletes e camisinhas podem entupir o vaso e comprometer o funcionamento da rede de esgoto. Use a lixeira.

 

 

 

Ler 670 vezes Última modificação em Segunda, 19 Agosto 2013 04:29

Facebook

Contato | Esse é um formulário rápido para você

E-mail
Assunto
Mensagem
View EMP Engenharia's profile on LinkedIn

Escritório Administrativo:  Rua Veríssimo 198, sala 01 - Salgado Filho Cep: 30.550-270 - Belo Horizonte - MG | ÁREA RESTRITA